Centralizando a autenticação dos servidor Linux com OpenLDAP e Debian Squeeze

O que é LDAP?

LDAP (Lightweight Directory Access Protocol) é um protocolo padrão inicialmente projetado para o acesso a serviços de diretório X.500. O LDAP é a versão reduzida de um protocolo chamado DAP (Directory Access Protocol). A principal função do DAP era a de estabelecer, de forma padrão, regras de comunicação de acesso com um diretório baseado no padrão X.500, mas por ser complexo permitiu o surgimento do LDAP que implementa apenas as operações básicas do DAP: Bind, Read, List, Search, Compare, Modify, Add, Delete e ModifyRDN.

Esta introdução é importante para que saibamos exatamente o que é um serviço de diretório. Aqueles que já têm claro este conceito podem, com segurança, ignorar o próximo parágrafo.

Um serviço de diretório contém informações em forma de entradas. Um bom exemplo poderia ser uma lista telefônica, que contém entradas: nomes de pessoas, nomes de empresas, etc. Cada entrada contém uma série de dados que, de maneira formal, chamamos de atributos. Estes dados podem ser o nome da empresa, telefone, endereço, etc. Uma lista telefônica destaca-se por ser um guia no qual podemos realizar consultas com freqüência, ao qual poucas vezes, porém, iremos adicionar novas entradas. Vale a pena destacar também que, muitas vezes, poderemos fazer consultas nesta lista por ordem alfabética, pelo tipo de empresa, por endereço. Em poucas palavras, um diretório é uma base de dados contendo diferentes tipos de informações (a lista telefônica foi apenas um exemplo) e oferece uma versatilidade muito grande na hora de buscar a informação desejada.

Então, para que serve o LDAP? O LDAP é simplesmente um protocolo encarregado por definir a maneira através da qual se realizam as pesquisas em uma base de dados de “entradas” (como o exemplo mencionado anteriormente). Protocolo é um conjunto de regras que devem ser seguidas na hora de se criar uma aplicação que siga um padrão, no caso, o padrão LDAP.

Anteriormente falamos sobre X.500. Este é um protocolo que era utilizado antigamente de forma bastante ampla como serviço de diretório. Inicialmente o LDAP foi criado somente para servir de interface entre os clientes que queriam fazer consultas ao servidor X.500. Isto foi decorrente das deficiências que este protocolo tinha e de sua extrema lentidão. Mais adiante concluiu-se que, como a maioria das consultas chegava normalmente através da interface LDAP, seria muito mais vantajoso utilizar o LDAP como um serviço independente de diretório sem a necessidade de se utilizar o X.500.

O que é OpenLDAP?

Agora que já sabemos o que é LDAP, veremos o que é OpenLDAP. OpenLDAP é simplesmente um projeto colaborativo livre e totalmente funcional que centraliza a criação de uma série de ferramentas que implementam o protocolo LDAP. Pode ser um servidor LDAP ou qualquer ferramenta onde o cliente possa acessar ou gerenciar a informação através deste servidor.

O servidor LDAP nada mais é que um pedaço de software encarregado de gerenciar de forma interna a informação, porém não é responsável por armazená-la. Isto ocorre porque o protocolo LDAP não é designado para o armazenamento, mas sim para a gestão da informação armazenada. Ou seja, o protocolo não define a forma de armazenar esta informação, como, por exemplo, a informação dos telefones de uma lista telefônica. Ele simplesmente é capaz de gerenciá-la, não importando aonde esta estiver armazenada.

Vejamos um exemplo:

O cliente faz uma consulta qualquer no diretório LDAP, que gerencia esta consulta devolvendo a informação solicitada, buscada na base de dados. Isto é feito de uma forma bastante simples, pois o cliente somente precisa saber como fazer a consulta. O servidor encarrega-se de buscar estes dados na base de dados correta.

O que é Active Directory?

Active Directory é uma outra implementação do protocolo LDAP, sob a responsabilidade da Microsoft. Isto somente é possível porque o protocolo LDAP é um padrão aberto, permitindo que cada um o implemente da sua maneira. Existem muitas outras implementações, mas neste handbook nosso foco será nas mais conhecidas: OpenLDAP e Active Directory.

A implementação do Active Directory é um bom exemplo do potencial do protocolo LDAP, não se limitando somente ao funcionamento definido pelo protocolo, mas estendendo-o com a criação de novas funcionalidades, o que o torna um sistema muito mais amplo que um simples serviço de diretórios. O Active Directory implementa, além do protocolo LDAP, outras funcionalidades como o DNS (Domain Name System) e o protocolo de autenticação Kerberos.

O Active Directory é utilizado como base de dados centralizada de informações necessárias para a operação de uma rede distribuída de computadores. Para poder operar como servidor central de uma rede distribuída, é necessário que armazene informações de usuários e suas permissões, grupos, máquinas existentes na rede, recursos comuns, seja de disco ou físicos, como impressoras e outros periféricos. Além disto, deve possuir um sistema de autenticação.

Conclusão

O LDAP trata-se de um protocolo aberto, rápido e eficaz que nos permite criar ferramentas de servidores ou de clientes compartilhando um mesmo padrão e facilitando a interoperabilidade em ambientes heterogêneos com diferentes máquinas, sistemas operacionais ou implementações do mesmo. Desta forma, um servidor OpenLDAP pode ser capaz de interoperar com clientes ou ferramentas de gestão desenvolvidas por outros fabricantes, como Microsoft, Novell, etc. Entretanto, com ferramentas livres desenvolvidas pelo projeto OpenLDAP é possível interoperar com um servidor Active Directory, inclusive chegando a integrar uma máquina em Linux dentro de um domínio gerenciado por Active Directory.

Ideia principal deste how to é mostrar como podemos centralizar a autenticação de nossos servidores Linux na rede de uma forma fácil, controlando os nosso usuário e grupos com um frontend web.

  1. Ip do servidor: 10.0.0.26
  2. Domínio: douglasqsantos.com.br

Prepare o seu sistema com o seguinte script http://wiki.douglasqsantos.com.br/doku.php/confinicialsqueeze_en para que não falte nenhum pacote ou configuração.

Sempre quanto terminar a edição de algum arquivo .ldif no vim sempre pressione F7 para ele remover os espaços nos finais de linha que sempre da merda ;)

Vamos fazer a instalação dos pacotes necessários.

aptitude update && aptitude dist-upgrade -y && aptitude install slapd ldap-utils -y
#Aqui vamos ter que informar a senha para o Administrador do nosso LDAP.

Agora vamos checar se o nosso servidor esta trabalhando.

ldapsearch -LLL -Y EXTERNAL -H ldapi:/// -b cn=config dn
SASL/EXTERNAL authentication started
SASL username: gidNumber=0+uidNumber=0,cn=peercred,cn=external,cn=auth
SASL SSF: 0
dn: cn=config
dn: cn=module{0},cn=config
dn: cn=schema,cn=config
dn: cn={0}core,cn=schema,cn=config
dn: cn={1}cosine,cn=schema,cn=config
dn: cn={2}nis,cn=schema,cn=config
dn: cn={3}inetorgperson,cn=schema,cn=config
dn: olcBackend={0}hdb,cn=config
dn: olcDatabase={-1}frontend,cn=config
dn: olcDatabase={0}config,cn=config
dn: olcDatabase={1}hdb,cn=config

Agora vamos inserir a senha do admin do nosso LDAP, mas primeiro temos que gerar um hash da senha.

slappasswd -s senha
{SSHA}F4oAyMcAPBlNgRascGQgR5KspB6/HWos

OBS: NÃO PODE HAVER ESPAÇOS APÓS APÓS O ÚLTIMO CARACTER DA LINHA NO ARQUIVO .LDIF SENÃO VAMOS OBTER ERRO NA IMPORTAÇÃO DOS ARQUIVOS EXEMPLO DE ERRO

ldap_add: Invalid syntax (21) additional info: objectClass: value #1 invalid per syntax

Vamos consultar a nossa base LDAP

ldapsearch -LLL -Y EXTERNAL -H ldapi:/// -b cn=config olcRootDN olcRootPW
SASL/EXTERNAL authentication started
SASL username: gidNumber=0+uidNumber=0,cn=peercred,cn=external,cn=auth
SASL SSF: 0
dn: cn=config

dn: cn=module{0},cn=config

dn: cn=schema,cn=config

dn: cn={0}core,cn=schema,cn=config

dn: cn={1}cosine,cn=schema,cn=config

dn: cn={2}nis,cn=schema,cn=config

dn: cn={3}inetorgperson,cn=schema,cn=config

dn: olcBackend={0}hdb,cn=config

dn: olcDatabase={-1}frontend,cn=config

dn: olcDatabase={0}config,cn=config
olcRootDN: cn=admin,cn=config

dn: olcDatabase={1}hdb,cn=config
olcRootDN: cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
olcRootPW: {SSHA}ICTJMI27hEsmf2Y29dNuuj31+viZNUMp

OBS: Em alguns casos note que não temos um olcRootPW depois de dn: olcDatabase={0}config,cn=config, que é a senha da administração da configuração do LDAP, com isso vamos ter que inserir uma, caso contrário podemos modificar ela.

Agora vamos criar o arquivo para ser importado com a senha do nosso admin do config LDAP, caso ela ainda não exista.

vim /root/admin.mod.ldif
dn: olcDatabase={0}config,cn=config
changetype: modify
replace: olcRootPW
olcRootPW: {SSHA}F4oAyMcAPBlNgRascGQgR5KspB6/HWos

Agora vamos importar a nova senha para o LDAP

ldapmodify -Y EXTERNAL -H ldapi:/// -f /root/admin.mod.ldif 
SASL/EXTERNAL authentication started
SASL username: gidNumber=0+uidNumber=0,cn=peercred,cn=external,cn=auth
SASL SSF: 0
modifying entry "olcDatabase={0}config,cn=config"

Agora se precisarmos trocar a senha do admin da instalação do LDAP temos que criar o arquivo para efetuar a modificação da senha e importar ele aqui eu vou utilizar a mesma senha tanto para o admin de consultas como para o admin interno do LDAP

vim ~/root.ldif
dn: olcDatabase={1}hdb,cn=config
changetype: modify
replace: olcRootPW
olcRootPW: {SSHA}F4oAyMcAPBlNgRascGQgR5KspB6/HWos

Vamos agora importar a nossa senha.

ldapmodify -Y EXTERNAL -H ldapi:/// -f ~/root.ldif 
SASL/EXTERNAL authentication started
SASL username: gidNumber=0+uidNumber=0,cn=peercred,cn=external,cn=auth
SASL SSF: 0
modifying entry "olcDatabase={1}hdb,cn=config"

Agora vamos fazer uma consulta a respeito dos admins do nosso LDAP

ldapsearch -LLL -Y EXTERNAL -H ldapi:/// -b cn=config olcRootDN olcRootPW
SASL/EXTERNAL authentication started
SASL username: gidNumber=0+uidNumber=0,cn=peercred,cn=external,cn=auth
SASL SSF: 0
dn: cn=config

dn: cn=module{0},cn=config

dn: cn=schema,cn=config

dn: cn={0}core,cn=schema,cn=config

dn: cn={1}cosine,cn=schema,cn=config

dn: cn={2}nis,cn=schema,cn=config

dn: cn={3}inetorgperson,cn=schema,cn=config

dn: olcBackend={0}hdb,cn=config

dn: olcDatabase={-1}frontend,cn=config

dn: olcDatabase={0}config,cn=config
olcRootDN: cn=admin,cn=config
olcRootPW: {SSHA}F4oAyMcAPBlNgRascGQgR5KspB6/HWos

dn: olcDatabase={1}hdb,cn=config
olcRootDN: cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
olcRootPW: {SSHA}F4oAyMcAPBlNgRascGQgR5KspB6/HWos

Vamos agora criar o nosso sufixo para o nosso domínio e a configuração de acesso.

vim ~/config.ldif
dn: olcDatabase={1}hdb,cn=config
changetype: modify
replace: olcSuffix
olcSuffix: dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
-
replace: olcRootDN
olcRootDN: cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
-
replace: olcAccess
olcAccess: to attrs=userPassword by dn="cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br" write by anonymous auth by self write by * none
olcAccess: to attrs=shadowLastChange by self write by * read
olcAccess: to dn.base="" by * read
olcAccess: to * by dn="cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br" write by * read

Agora vamos inserir essas configurações no nosso servidor LDAP.

ldapmodify -Y EXTERNAL -H ldapi:/// -f ~/config.ldif 
SASL/EXTERNAL authentication started
SASL username: gidNumber=0+uidNumber=0,cn=peercred,cn=external,cn=auth
SASL SSF: 0
modifying entry "olcDatabase={1}hdb,cn=config"

Vamos checar agora a configuração do nosso servidor LDAP.

ldapsearch -xLLL -b cn=config -D cn=admin,cn=config -W olcDatabase={1}hdb 
Enter LDAP Password: senha
dn: olcDatabase={1}hdb,cn=config
objectClass: olcDatabaseConfig
objectClass: olcHdbConfig
olcDatabase: {1}hdb
olcDbDirectory: /var/lib/ldap
olcLastMod: TRUE
olcRootPW: {SSHA}NY5Op1B2glPKpZWTFb266Jyir9dzG+Rt
olcDbCheckpoint: 512 30
olcDbConfig: {0}set_cachesize 0 2097152 0
olcDbConfig: {1}set_lk_max_objects 1500
olcDbConfig: {2}set_lk_max_locks 1500
olcDbConfig: {3}set_lk_max_lockers 1500
olcDbIndex: objectClass eq
olcSuffix: dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
olcRootDN: cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
olcAccess: {0}to attrs=userPassword by dn="cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br" write by anonymous auth by self write by * none
olcAccess: {1}to attrs=shadowLastChange by self write by * read
olcAccess: {2}to dn.base="" by * read
olcAccess: {3}to * by dn="cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br" write by * read

Agora vamos criar o dominio do nosso LDAP

vim ~/raiz.ldif
dn: dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
objectClass: top
objectClass: dcObject
objectclass: organization
o: ConfianceIT
dc: confianceit
description: LDAP Server

Agora vamos importar o nosso domínio para a base LDAP

ldapadd -x -c -D cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br -W -f ~/raiz.ldif 
Enter LDAP Password: 
adding new entry "dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br"

Caso já tenha sido configurado pela instalação o domínio vamos obter a seguinte saída

ldapadd -x -c -D cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br -W -f ~/raiz.ldif 
Enter LDAP Password: 
adding new entry "dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br"
ldap_add: Already exists (68)

Agora vamos criar os contêiner que vão ficar armazenados os nossos usuários, grupos e máquinas

vim ~/ous.ldif 
dn: ou=Usuarios,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
ou: Usuarios
objectClass: organizationalUnit
objectClass: top

dn: ou=Grupos,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
ou: Grupos
objectClass: organizationalUnit
objectClass: top

dn: ou=Maquinas,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
ou: Maquinas
objectClass: organizationalUnit
objectClass: top

Agora temos que importar o nosso arquivo para o LDAP

ldapadd -x -c -D cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br -W -f ~/ous.ldif 
Enter LDAP Password: 
adding new entry "ou=Usuarios,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br"

adding new entry "ou=Grupos,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br"

adding new entry "ou=Maquinas,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br"

Vamos acertar o arquivo que controla o cliente LDAP /etc/ldap/ldap.conf

vim /etc/ldap/ldap.conf
URI ldap://10.0.0.26/
BASE dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br

Agora vamos criar o admin do LDAP

Vamos gerar a senha

slappasswd -s senha
{SSHA}gIeWDqs/mJwIGFuNeGbwg8G0/tZav3d8

Agora que já temos a senha vamos criar o arquivo para importar para o LDAP

vim ~/admin.ldif
dn: cn=admin, dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
objectClass: top
objectClass: simpleSecurityObject
objectclass: organizationalRole
cn: admin
description: LDAP administrator
userPassword: {SSHA}gIeWDqs/mJwIGFuNeGbwg8G0/tZav3d8

Agora vamos importar o arquivo do admin

ldapadd -x -c -D cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br -W -f ~/admin.ldif
Enter LDAP Password: 
adding new entry "cn=admin, dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br"

Caso o nosso admin já tenho sido criado na instalação do ldap vamos ter o seguinte retorno no comando acima

ldapadd -x -c -D cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br -W -f ~/admin.ldif
Enter LDAP Password: 
adding new entry "cn=admin, dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br"
ldap_add: Already exists (68)

OBS: Acho melhor excluir os usuários locais deixar somente o usuário root para o sistema local, caso ache necessário utilize a seguinte padronização somente nome do usuário para efetuar login no servidor local e nome.sobrenome para logar na base do LDAP.

Vou disponibilizar um script para efetuar a migração dos usuários locais para um arquivo ldif que pode ser importado para a base LDAP

vim expldif.sh
#!/bin/bash
#Aqui neste script estamos fazendo migração dos usuários que tem uid com 4 digitos
SUFFIX='dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br'
LDIF='usuariosldif.ldif'

for line in $(grep "x:[1-9][0-9][0-9][0-9]:" /etc/passwd | sed -e "s/ /%/")
do
 UID1=$(echo $line | cut -d: -f1)
 NAME=$(echo $line | cut -d: -f5 | cut -d, -f1)
 if [  "$NAME" ]
 then
 NAME=$UID1
 else
 NAME=$(echo $NAME | sed -e "s/%/ /")
 fi
 SN=$(echo $NAME | awk '{print $2}')
 if [  "$SN" ]
 then
 SN=$NAME
 fi
 GIVEN=$(echo $NAME | awk '{print $1}')
 UID2=$(echo $line | cut -d: -f3)
 GID=$(echo $line | cut -d: -f4)
 PASS=$(grep $UID1 /etc/shadow | cut -d: -f2)
 SHELL=$(echo $line | cut -d: -f7)
 HOME=$(echo $line | cut -d: -f6)
 EXPIRE=$(passwd -S $UID1 | awk '{print $7}')
 FLAG=$(grep $UID1 /etc/shadow | cut -d: -f9)
 if [  "$FLAG" ]
 then
 FLAG="0"
 fi
 WARN=$(passwd -S $UID1 | awk '{print $6}')
 MIN=$(passwd -S $UID1 | awk '{print $4}')
 MAX=$(passwd -S $UID1 | awk '{print $5}')
 LAST=$(grep $UID1 /etc/shadow | cut -d: -f3)
 echo "dn: uid=$UID1,ou=usuarios,$SUFFIX" >> $LDIF
 echo "objectClass: inetOrgPerson" >> $LDIF
 echo "objectClass: posixAccount" >> $LDIF
 echo "objectClass: shadowAccount" >> $LDIF
 echo "uid: $UID1" >> $LDIF
 echo "sn: $SN" >> $LDIF
 echo "givenName: $GIVEN" >> $LDIF
 echo "cn: $NAME" >> $LDIF
 echo "displayName: $NAME" >> $LDIF
 echo "uidNumber: $UID2" >> $LDIF
 echo "gidNumber: $GID" >> $LDIF
 echo "userPassword: {crypt}$PASS" >> $LDIF
 echo "gecos: $NAME" >> $LDIF
 echo "loginShell: $SHELL" >> $LDIF
 echo "homeDirectory: $HOME" >> $LDIF
 echo "shadowExpire: $EXPIRE" >> $LDIF
 echo "shadowFlag: $FLAG" >> $LDIF
 echo "shadowWarning: $WARN" >> $LDIF
 echo "shadowMin: $MIN" >> $LDIF
 echo "shadowMax: $MAX" >> $LDIF
 echo "shadowLastChange: $LAST" >> $LDIF
 echo >> $LDIF
done

Agora vamos gerar o nosso arquivo ldif com os usuários locais.

bash expldif.sh

Agora é só importar a base que foi gerada para o LDAP

ldapadd -x -D cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br -W -f usuariosldif.ldif 
Enter LDAP Password: senhaadmin
adding new entry "uid=douglas,ou=usuarios,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br"

Aqui no meu caso só tinha um usuário com um uid com 4 dígitos então foi só o que a minha base importou.

Agora vamos para o script que faz a migração de grupos locais para um arquivo ldif

vim gruposldif.sh
#!/bin/bash
#Aqui neste script estamos fazendo a migração dos grupos que tem gid com 4 digitos
SUFFIX='dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br'
LDIF='gruposldif.ldif'

for line in $(grep "x:[1-9][0-9][0-9][0-9]:" /etc/group)
do
 CN=$(echo $line | cut -d: -f1)
 GID=$(echo $line | cut -d: -f3)
 echo "dn: cn=$CN,ou=grupos,$SUFFIX" >> $LDIF
 echo "objectClass: posixGroup" >> $LDIF
 echo "cn: $CN" >> $LDIF
 echo "gidNumber: $GID" >> $LDIF
 echo >> $LDIF
done

Agora vamos gerar o nosso ldif com os grupos

bash gruposldif.sh

Agora vamos importar os grupos para o ldap

ldapadd -x -D cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br -W -f gruposldif.ldif 
Enter LDAP Password: senhaadmin
adding new entry "cn=douglas,ou=grupos,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br"

Agora vamos a instalação e configuração do Ldap Account Manager

aptitude install ldap-account-manager php5-ldap php5-gd php-fpdf libjs-jquery libjs-jquery-ui debconf php5-mcrypt ldap-account-manager-lamdaemon -y

Vamos configurar ele agora o arquivo é /usr/share/ldap-account-manager/config/lam.conf

vim /usr/share/ldap-account-manager/config/lam.conf
[...]
admins: cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
[...]
treesuffix: dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
[...]
defaultLanguage: pt_BR.utf8:UTF-8:Português (Brasil)
[...]
types: suffix_user: ou=Usuarios,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
[...]
types: suffix_group: ou=Grupos,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
[...]
types: suffix_host: ou=Maquinas,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
[...]
types: suffix_smbDomain: dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br

Agora vamos acessar a nosso console web http://10.0.0.26/lam

Agora informe a senha do admin do ldap

Aqui vamos criar um grupo e um usuário para testes.

Vamos criar o grupo

  1. Selecione nessa tela principal na parte superior o item Grupos
  2. Agora selecione novo grupo
  3. Informe Nome do grupo: ti-admin
  4. Numero GID: não informe nada que vai ser gerado automaticamente
  5. Agora informe uma descrição: Grupo de Admins
  6. Agora selecione salvar
  7. Agora selecione voltar a lista de grupos
  8. Como pode ser notado o nosso grupo esta ali.
  9. Para efetuar alguma alteração nele basta selecionar o ícone com um bloco de notas e um lápis.

Agora vamos criar o usuário

  1. Selecione Usuários
  2. Agora novo usuário.
  3. Informe o que achar necessário aqui, quanto mais informações melhor.
  4. Selecione Unix
  5. Informe o nome de usuario dele ex: douglas.santos
  6. Nome comun: Douglas Quintiliano dos Santos
  7. Número uid: deixe vazio para ele gerar um automaticamente
  8. Selecione definir senha
  9. Digite uma senha e confirme ela.
  10. Selecione ok
  11. Selecione Sombra que é quem controla as senhas
  12. Selecione Adicionar uma extensão de Conta Shadow
  13. Em aviso de senha selecione 10 (Dias antes da senha expirar em que o usuário será alertado sobre a expiração de sua senha. Se atribuir valor, este deve ser maior que 0. Pode ser vazio.)
  14. Em expiração de senha selecione 1 (Número de dias que um usuário poderá iniciar uma sessão mesmo que sua senha tenha expirado. -1=sempre. Pode ser vazio.)
  15. Em idade mínima para senha selecione 7 (Número de dias que um usuário irá esperar até que este esteja habilitado para trocar sua senha novamente. Se habilitado, deve ser um valor maior que 0. Pode ser vazio.)
  16. Em idade máxima da senha informe 15 (Número de dias que um usuário irá esperar até que este esteja habilitado para trocar sua senha novamente. Se habilitado, deve ser um valor maior que 0. Pode ser vazio.)
  17. Agora selecione salvar
  18. Pronto temos o nosso usuario
  19. Selecione Voltar à lista de usuários

Agora vamos ver como configuramos o cliente, como o nosso servidor LDAP vai ser cliente LDAP também vamos configurar ele.

Vamos a instalação de alguns pacotes necessários

aptitude install libnss-ldap libpam-ldap ldap-utils -y

Informe a respostas como abaixo

  1. dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
  2. 3
  3. cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
  4. senhaadmin
  5. ok
  6. yes
  7. no
  8. cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
  9. senhadmin

Agora vamos fazer um backup do arquivo que controla aonde vai ser consultado os usuários, grupos e senhas no sistema

cp -Rfa /etc/nsswitch.conf{,.bkp}

Vamos editar ele agora /etc/nsswitch.conf

vim /etc/nsswitch.conf
passwd:         compat ldap
group:          compat ldap
shadow:         compat ldap

hosts:          files dns
networks:       files

protocols:      db files
services:       db files
ethers:         db files
rpc:            db files

netgroup:       ldap

Vamos acertar o arquivo que controla o cliente LDAP /etc/ldap/ldap.conf

vim /etc/ldap/ldap.conf
URI ldap://10.0.0.26/
BASE dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br

Vamos efetuar um backup da pam

cp -Rfa /etc/pam.d{,.bkp}

Vamos efetuar alguns ajustes na pam primeiro no arquivo que controla as senhas deixe o arquivo /etc/pam.d/common-password como abaixo

vim /etc/pam.d/common-password
password        [success=2 default=ignore]      pam_unix.so obscure sha512
password        [success=1 user_unknown=ignore default=die]     pam_ldap.so try_first_pass
password        requisite                       pam_deny.so
password        required                        pam_permit.so

Agora vamos efetuar o ajuste no arquivo que controla as sessões caso o diretório home não exista o sistema vai cria deixe o arquivo /etc/pam.d/common-session como abaixo

vim /etc/pam.d/common-session
session [default=1]                     pam_permit.so
session requisite                       pam_deny.so
session required                        pam_permit.so
session required        pam_unix.so
session optional                        pam_ldap.so
session optional pam_mkhomedir.so skel=/etc/skel umask=077

Agora vamos efetuar o ajuste do arquivo de autenticação do ssh é o arquivo /etc/pam.d/sshd o arquivo vai ter que ficar parecido com o abaixo.

vim /etc/pam.d/sshd
auth       required     pam_env.so # [1]
auth       required     pam_env.so envfile=/etc/default/locale
@include common-auth
account    required     pam_nologin.so
#adicionar as linhas abaixo para limitarmos o acesso ao ssh dessa maquina somente aos usuarios do grupo ti-admin
account    sufficient   pam_succeed_if.so user ingroup root
account    requisite    pam_succeed_if.so user ingroup ti-admin
@include common-account
@include common-session
session    optional     pam_motd.so # [1]
session    optional     pam_mail.so standard noenv # [1]
session    required     pam_limits.so
@include common-password

Vamos também limitar o acesso ao console do servidor limitando também que somente o root e o grupo ti-admin tenha acesso vamos editar o arquivo /etc/pam.d/login o arquivo vai ter que ficar parecido com o abaixo.

vim /etc/pam.d/login
auth       optional   pam_faildelay.so  delay=3000000
auth [success=ok new_authtok_reqd=ok ignore=ignore user_unknown=bad default=die] pam_securetty.so
auth       requisite  pam_nologin.so
#adicionar essas 2 novas linhas abaixo
account    sufficient   pam_succeed_if.so user ingroup root
account    requisite    pam_succeed_if.so user ingroup ti-admin
session [success=ok ignore=ignore module_unknown=ignore default=bad] pam_selinux.so close
session       required   pam_env.so readenv=1
session       required   pam_env.so readenv=1 envfile=/etc/default/locale
@include   common-auth
auth       optional   pam_group.so
session    required   pam_limits.so
session    optional   pam_lastlog.so
session    optional   pam_motd.so
session    optional   pam_mail.so standard
@include common-account
@include common-session
@include common-password
session [success=ok ignore=ignore module_unknown=ignore default=bad] pam_selinux.so open

Agora vamos reiniciar o servidor e testar

telinit 6

Agora após iniciar o servidor novamente logue com o usuário root e vamos trocar para o usuário douglas.santos

su - douglas.santos
Criando o diretório '/home/douglas.santos'.
douglas.santos@debian22:~$ 

Agora vamos configurar um cliente Debian Squeeze Vamos a instalação de alguns pacotes necessários

aptitude install libnss-ldap libpam-ldap ldap-utils -y

Informe a respostas como abaixo

  1. dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
  2. 3
  3. cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
  4. senhaadmin
  5. ok
  6. yes
  7. no
  8. cn=admin,dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
  9. senhadmin

Agora vamos fazer um backup do arquivo que controla aonde vai ser consultado os usuários, grupos e senhas no sistema

cp -Rfa /etc/nsswitch.conf{,.bkp}

Vamos editar ele agora /etc/nsswitch.conf

vim /etc/nsswitch.conf
passwd:         compat ldap
group:          compat ldap
shadow:         compat ldap

hosts:          files dns
networks:       files

protocols:      db files
services:       db files
ethers:         db files
rpc:            db files

netgroup:       ldap

Vamos acertar o arquivo que controla o cliente LDAP /etc/ldap/ldap.conf

vim /etc/ldap/ldap.conf
URI ldap://10.0.0.26/
BASE dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br

Vamos efetuar um backup da pam

cp -Rfa /etc/pam.d{,.bkp}

Vamos efetuar alguns ajustes na pam primeiro no arquivo que controla as senhas deixe o arquivo /etc/pam.d/common-password como abaixo

vim /etc/pam.d/common-password
password        [success=2 default=ignore]      pam_unix.so obscure sha512
password        [success=1 user_unknown=ignore default=die]     pam_ldap.so try_first_pass
password        requisite                       pam_deny.so
password        required                        pam_permit.so

Agora efetuar o ajuste no arquivo que controla as sessões caso o diretório home não exista o sistema vai cria deixe o arquivo /etc/pam.d/common-session como abaixo

vim /etc/pam.d/common-session
session [default=1]                     pam_permit.so
session requisite                       pam_deny.so
session required                        pam_permit.so
session required        pam_unix.so
session optional                        pam_ldap.so
session optional pam_mkhomedir.so skel=/etc/skel umask=077

Agora vamos efetuar o ajuste do arquivo de autenticação do ssh /etc/pam.d/sshd o arquivo vai ter que ficar parecido com o abaixo

vim /etc/pam.d/sshd
auth       required     pam_env.so # [1]
auth       required     pam_env.so envfile=/etc/default/locale
@include common-auth
account    required     pam_nologin.so
#adicionar a linha abaixo para limitarmos o acesso ao ssh dessa maquina somente aos usuarios do grupo ti-admin
account    sufficient   pam_succeed_if.so user ingroup root
account    requisite    pam_succeed_if.so user ingroup ti-admin
@include common-account
@include common-session
session    optional     pam_motd.so # [1]
session    optional     pam_mail.so standard noenv # [1]
session    required     pam_limits.so
@include common-password

Vamos também limitar o acesso ao console do servidor limitando também que somente o root e o grupo ti-admin tenha acesso vamos editar o arquivo /etc/pam.d/login o arquivo vai ter que ficar parecido com o abaixo.

vim /etc/pam.d/login
auth       optional   pam_faildelay.so  delay=3000000
auth [success=ok new_authtok_reqd=ok ignore=ignore user_unknown=bad default=die] pam_securetty.so
auth       requisite  pam_nologin.so
#adicionar essas linhas no arquivo
account    sufficient   pam_succeed_if.so user ingroup root
account    requisite    pam_succeed_if.so user ingroup ti-admin
session [success=ok ignore=ignore module_unknown=ignore default=bad] pam_selinux.so close
session       required   pam_env.so readenv=1
session       required   pam_env.so readenv=1 envfile=/etc/default/locale
@include   common-auth
auth       optional   pam_group.so
session    required   pam_limits.so
session    optional   pam_lastlog.so
session    optional   pam_motd.so
session    optional   pam_mail.so standard
@include common-account
@include common-session
@include common-password
session [success=ok ignore=ignore module_unknown=ignore default=bad] pam_selinux.so open

Agora vamos reiniciar o cliente e testar

telinit 6

Agora logue novamente no cliente com o usuário root e vamos mudar para o usuário douglas.santos

su - douglas.santos
Criando o diretório '/home/douglas.santos'.

Como podemos notar está funcionando tudo ok

Vamos fazer um acesso via ssh no cliente utilizando o usuário douglas.santos que temos somente no LDAP

$ ssh 10.0.0.73 -l douglas.santos
douglas.santos@10.0.0.73's password: 
Linux 02-debian 2.6.32-5-686 #1 SMP Mon Jun 13 04:13:06 UTC 2011 i686

The programs included with the Debian GNU/Linux system are free software;
the exact distribution terms for each program are described in the
individual files in /usr/share/doc/*/copyright.

Debian GNU/Linux comes with ABSOLUTELY NO WARRANTY, to the extent
permitted by applicable law.
[16:29:38] douglas.santos@02-debian [~] $ pwd
/home/douglas.santos
[16:30:49] douglas.santos@02-debian [~] $ 

Agora vamos configurar um cliente Centos 6

Vamos instalar os pacotes necessários

yum install openldap-clients nss-pam-ldapd -y

Agora vamos ajustar os arquivos do sistema

Vamos acertar o arquivo que controla o cliente LDAP /etc/openldap/ldap.conf

vim /etc/openldap/ldap.conf
URI ldap://10.0.0.26/
BASE dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br

Agora vamos acertar o arquivo /etc/nslcd.conf

vim /etc/nslcd.conf
#Insira no final do arquivossl no
uri ldap://10.0.0.26/
base dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br

Agora vamos a configuração do /etc/pam_ldap.conf

vim /etc/pam_ldap.conf
#Comente a linhas 17 deixe como abaixo
#host 127.0.0.1
#Na linha 20 deixe como abaixo
base dc=douglasqsantos,dc=com,dc=br
[...]
#Agora acrescente no final do arquivo
uri ldap://10.0.0.26/
ssl no

Agora vamos configurar o /etc/pam.d/system-auth o seu arquivo vai ter que ficar parecido com o abaixo.

vim /etc/pam.d/system-auth
#%PAM-1.0
# This file is auto-generated.
# User changes will be destroyed the next time authconfig is run.
auth        required      pam_env.so
auth        sufficient    pam_fprintd.so
auth        sufficient    pam_unix.so nullok try_first_pass
auth        requisite     pam_succeed_if.so uid >= 500 quiet
#insira a linha abaixo
auth        sufficient    pam_ldap.so use_first_pass
auth        required      pam_deny.so

account     required      pam_unix.so
account     sufficient    pam_localuser.so
account     sufficient    pam_succeed_if.so uid < 500 quiet
#insira a linha abaixo
account     [default=bad success=ok user_unknown=ignore] pam_ldap.so
account     required      pam_permit.so

password    requisite     pam_cracklib.so try_first_pass retry=3 type=
password    sufficient    pam_unix.so sha512 shadow nullok try_first_pass use_authtok
#insira a linha abaixo
password    sufficient    pam_ldap.so use_authtok
password    required      pam_deny.so

session     optional      pam_keyinit.so revoke
session     required      pam_limits.so
session     [success=1 default=ignore] pam_succeed_if.so service in crond quiet use_uid
session     required      pam_unix.so
session     optional      pam_ldap.so
#insira a linha abaixo
session     optional      pam_mkhomedir.so skel=/etc/skel umask=077

Vamos acertar o arquivo /etc/nsswitch.conf

vim /etc/nsswitch.conf
passwd:files ldap # line 33: deixe como no exemplo
shadow:files ldap # linha 34: deixe como no exemplo
group:files ldap  # linha 35: deixe como no exemplo

netgroup:ldap    # linha 57: deixe como no exemplo
automount: files ldap #linha 61: deixe como no exemplo

Agora precisamos alterar o ultimo arquivo /etc/sysconfig/authconfig

sed -i "s/USELDAP=no/USELDAP=yes/" /etc/sysconfig/authconfig

Agora vamos deixar o nslcd na inicialização

chkconfig nslcd on
telinit 6

Agora é só logar no sistema utilizando um usuário que esteja cadastrado no LDAP

Agora vamos configurar o acesso ao cliente via ssh vamos editar o arquivo /etc/pam.d/sshd

vim /etc/pam.d/sshd
#%PAM-1.0
#adicione essa linha abaixo
auth       sufficient   pam_ldap.so
auth       required     pam_sepermit.so
auth       include      password-auth
account    required     pam_nologin.so
#adicione essa linha abaixo note que somente os usuarios do grupo ti-admin vao conseguir ter acesso via ssh 
account    sufficient   pam_succeed_if.so user ingroup root
account    requisite    pam_succeed_if.so user ingroup ti-admin
account    include      password-auth
password   include      password-auth
# pam_selinux.so close should be the first session rule
session    required     pam_selinux.so close
session    required     pam_loginuid.so
# pam_selinux.so open should only be followed by sessions to be executed in the user context
session    required     pam_selinux.so open env_params
#adiciona essa linha abaixo
session    required     pam_mkhomedir.so        skel=/etc/skel umask=0027
session    optional     pam_keyinit.so force revoke
session    include      password-auth

Agora vamos fazer mais um ajuste nos acessos vamos permitir que vão logar no console do servidor somente o grupo ti-admin e o grupo do root vamos editar o arquivo /etc/pam.d/login

vim /etc/pam.d/login
#%PAM-1.0
auth [user_unknown=ignore success=ok ignore=ignore default=bad] pam_securetty.so
auth       sufficient   pam_ldap.so
auth       include      system-auth
account    required     pam_nologin.so
#adicione essa linha abaixo note que somente os usuarios do grupo ti-admin vao conseguir ter acesso via ssh 
account    sufficient   pam_succeed_if.so user ingroup root
account    requisite    pam_succeed_if.so user ingroup ti-admin
account    include      system-auth
password   include      system-auth
# pam_selinux.so close should be the first session rule
session    required     pam_selinux.so close
session    required     pam_loginuid.so
session    optional     pam_console.so
# pam_selinux.so open should only be followed by sessions to be executed in the user context
session    required     pam_selinux.so open
session    required     pam_namespace.so
session    required     pam_mkhomedir.so        skel=/etc/skel umask=0027
session    optional     pam_keyinit.so force revoke
session    include      system-auth
-session   optional     pam_ck_connector.so

Agora vamos fazer um teste de conexão via ssh com um usuário do grupo ti-admin

ssh 10.0.0.30 -l douglas.santos
santos@10.0.0.30's password: 
Last login: Wed Aug 10 17:31:33 2011 from douglas.douglasqsantos.com.br

Referências